domingo, 27 de julho de 2014

A Cereja



Um bolo festivo, regra geral, é constituído por uma base, uma cobertura, algumas vezes também por um recheio, e por fim leva uma decoração. Uma cereja por exemplo.

Poderia comparar esta minha aventura à confecção de um bolo. Os primeiros meses de preparação seriam a base do bolo. Uma base simples, apenas constituída por treinos, sem competições. A base do meu bolo teria ficado perfeita se não fosse a lesão em fevereiro que fez com que o bolo não tivesse crescido na perfeição. Saiu do forno um pouco torto. De forma a disfarçar essa imperfeição, tentei corrigir com a cobertura. Esta cobertura terá sido a segunda fase da preparação, a partir de Junho, onde comecei a participar em competições. Mas para endireitar o bolo abusei um pouco mais na cobertura!
O problema é que esse excesso de cobertura, em algumas zonas do bolo acabou por derramar! A base não se está a aguentar com tanta cobertura!
O que quero dizer com isto? Que para tentar recuperar o mês que estive sem treinar, por causa da lesão, terei forçado demasiado na segunda fase da minha preparação.
Nestas últimas semanas apercebi-me de alguns sintomas de sobrecarga de treino, nomeadamente quebra nos valores de potência (critical power), perturbações no sono e irritabilidade. Óbvio que o meu corpo já não reage nem recupera como o fazia há 10-15 anos atrás. E este equilíbrio entre carga e recuperação não é nada fácil de gerir sobretudo quando estamos 10 anos afastados de toda esta dinâmica!

Tinha previsto fazer, como último estágio, 6 dias de carga na Serra da Estrela. Mas por forma a tentar contrariar esta tendência para “overtraining”, reduzi os 6 dias de carga para apenas 2 dias intercalados com dias de recuperação, e desde que regressei da Estrela, na terça-feira, só tenho feito treinos muito suaves. Com isto tenho esperança que até Quarta-feira, dia do inicio da Volta a Portugal, esteja já recuperado das cargas que dei ao meu corpo durante estes últimos meses, cargas que ele já não estava habituado. Com tantos dias de treino suave, o mais provável será nas primeiras etapas sofrer por falta ritmo, mas prefiro isto a iniciar a Volta já cansado. Com a passagem dos dias espero ir melhorando.
Independentemente do bolo não estar perfeito, resta-me agora colocar a tal cereja em cima. A cereja é a minha participação na Volta a Portugal. Mesmo o bolo não estando tão bonito como eu desejaria, espero que pelo menos o sabor seja bom :)

Amanhã (Segunda-feira) viajo para o quartel general da minha equipa LA-ANTARTE-ROTA DOS MÓVEIS, o “Paredes Hotel Apartamento”. Terça-feira será a apresentação das equipas em Fafe.
Durante a Volta a Portugal irei comunicar convosco numa frequência diária. Quero mostrar-vos os bastidores, partilhar os meus receios, as minhas dúvidas, as alegrias, por intermédio de uma crónica diária que irei colocar aqui e no meu Facebook (http://www.facebook.com/gamito.vitor). Irei também publicar alguns vídeos dos bastidores da minha equipa e da prova rainha nacional.

Por tudo isto, estejam atentos

#‎ImpossibleIsNothing #‎VitorGamitonaVolta

Sem comentários:

Publicar um comentário